O CAMINHO

Se acreditas que tua vida termina com a morte, o que pensas, sentes e fazes não tem sentido. tudo termina na incoerência, na desintegração.

Se acreditas que tua vida não termina com a morte, deve coincidir o que pensas com o que sentes e com o que fazes. Tudo deve avançar para a coerência, para a unidade.

Se és indiferente à dor e ao sofrimento dos demais, toda ajuda que peças não encontrará justificativa.

Se não és indiferente à dor ao sofrimento dos demais, deves fazer que conicida o que sentes com o que penses e faças para ajudas a outros.

Aprende a tratar aos demais do modo em que queres ser tratado.

Aprende a superar a dor e o sofrimento em ti, em teu próximo e na sociedade humana.

Aprende a resisitir à violência que há em ti e fora de ti.

Aprende a reconhecer os signos do sagrado em ti e fora de ti.

Não deixes passar tua vida sem perguntar-te: "Quem sou?"

Não deixes passar um dia sem responder-te para onde vais.

Não deixes passar uma grande alegria sem agradecer em teu interior.

Não deixes passar uma grande tristeza sem reclamar em teu interior aquela alegria que ficou guardada

Não imagines que estás só em teu povoado, em tua cidade, na Terra e nos infinitos mundos.

Não imagines que estás só em teu povoado, em tua cidade, na Terra e nos infinitos mundos.

Não imagines que estás encadeado a este tempo e a este espaço.

Não imagines que em tua morte se eterniza a solidão.

(A Mensagem de Silo)

sexta-feira, 22 de abril de 2011